terça-feira, 21 de setembro de 2010

Amor de vó/vô é diferente

As meninas do Mulher e Mãe (viram o selinho ali do lado? ---------> ) propuseram uma blogagem coletiva sobre o tema Avós,topei na hora!

Vamos lá:

"Tenho duas avós vivas.E dois avôs falecidos. Uma vó mora em Porto Velho (RO) e eu vejo somente uma vez por ano mais ou menos. A outra, a avó paterna mora aqui, e de certa forma é a vó que eu "conheci". Meu avô materno eu nem cheguei a conhecer. O vô paterno faleceu quando eu tinha 11 anos, mas me recordo bem dele.

Da minha vó Osmarina, mesmo a mais de 2 mil Km de distância, herdei muita coisa: o jeito "bichodomato de ser" (tipo, boba, ser passada pra trás, ter vergonha de trocar um produto, ter medo de elevador, timida, sabe?), o tipo sanguíneo (meu pai é 0+, minha mãe também e só eu aqui em casa sou 0- ), o gosto por feiras (adogo) e coisinhas baratinhas.

Da minha vó Filomena eu herdei quase nada, talvez a beleza (Oi?). Mas com ela aprendi o conceito literal de "vovó" sabe? Minha vó filó é aquela vozinha fofa dos filmes de sessão da tarde que mima até não poder mais. Até eu passar no concurso, ela me dava 5O reais todo mês, pra eu lanchar na faculdade. Ela compôs músicas para os 11 netos. Sim, eu tenho uma canção só pra mim (prometo fazer um vídeo dela cantando). Ela, já velhinha, tinha um bar. Um bar chamado "Bar dos dinossauros" com desenho dos personagens na parede e tudo e, onde nós, seus netos podíamos comer todas as balas, salgadinhos e Baré (lembram?) que quisessemos. Uma velhinha que fez e faz todas as vontades dos netos. Que sempre me achou magrinha demais e por isso frágil. E hoje, aos 82 anos de vida, me abraça e me diz TODA VEZ que me vê, que me ama demais. Que me faz morrer de amor sempre que diz que sou uma excelente mãe e que, ninguém nos ouça, Miguel é o bisneto mais bonito dela.



Minha vó Filó

Do meu avô Antônio, infelizmente só ouço falar. Sei que era garimpeiro. Sei que minha mãe era sua filhinha preferida. Sei que minha mãe o amava e o ama muito. Isso basta.

Sobre meu avô Raimundo eu sei de todas as histórias de boemia. De um homem que chegou em Brasília na sua construção e cozinhou para os peões que trabalhavam aqui. Da sua história com minha vó até o divórcio e de outras tantas com outras mulheres. Do amor exagerado que meu pai tem por ele. Era um velhinho que contava muitas histórias. Tinha tiques. Era generoso. Tinha e tenho um carinho enorme. 11 anos foi pouco, mas foi suficiente para eu amor meu avô. Muito.

Não existe amor mais delicioso que amor de vó/vô. Sem limite, sem disciplina, sem cobrança. Amor leve.

Agora que sou mãe, me vi muitas vezes repreendendo meus pais acerca da educação do Miguel. Não dá água. É só peito que ele mama. Suco não. Não agita ele. Não faz isso. Isso não pode. E eu entendo, sou mãe. É minha função colocar horários, limites, dizer a hora de parar. Mas a deles é de justamente ao contrário.

Lembro que meu pai sempre foi a favor de " corrigir", "cinto", "havaiana" e se hoje minha irmã ameaça disciplinar meu sobrinho ele vira bicho. Diz que não se cria filho assim. Quantas e quantas vezes eu senti dor, me machuquei, caía, reclamava e ele dizia "isso não é nada não, já passa". Hoje se Miguel, Davi ou Manuela (seus netos) tem uma febrícula, ele já quer ir ao Pronto Socorro. Minha mãe idem. É outra pessoa.
Quando eu falo qualquer coisa eles dizem que são pais 2 vezes. E são né?



Meu pai, quem diria, no chão brincando com o neto
Miguel tem duas avós e um avô vivos. E um avô(paterno) falecido. Todos presentes. É um sortudo. Pois todos disputam quem ama mais. E nem o seu Domingos escapa, já que mesmo não estando entre nós é o responsável pela genética corinthiana do gordinho.


Miguel com 15 dias de vida e a vó Rosa (mãe do Heitor)

Miguel no mesversário de 6 meses com a Vovó Sandra (minha mãe)

Tenho me policiado pra não ser chata demais e deixar eles cumprir a função deles: "estragar" meu filho.Doces, chocolates, descumprir minhas recomendações, Tv na hora errada, mimos, presentes demais tudo isso virá e uma certeza de que Miguelzinho terá uma infância feliz também, como eu tive.Que bom.

Em tempo: hoje estava dando o "mamá" do sono pro Miguel, ele quase dormindo e...meus pais chegam com meu jantar (já falei que não sei cozinhar?).Nem preciso dizer que ele despertou na hora. Brincaram muito os três (vovô, vovó e Miguelito) e a hora oficial de dormir foi pro saco. Bebê pegou no sono só agora pouco, depois de tanta estimulação. Mas dessa vez eu não fui a chata. Eles tavam com saudade do pequeno e sair da rotina assim, vez outra, com tanto carinho, não pode fazer mal.

10 comentários:

  1. Sua vó Filó parece de filme MESMO! Que linda!
    Agora essa frase:
    "Da minha vó Filomena eu herdei quase nada, talvez a beleza (Oi?)" É coisa de Marilia hahaha!

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente lindo
    Deus abençoe sempre vcês amiga
    Mil beijos

    ResponderExcluir
  3. Que delícia a tua história...

    Familía abençoada..

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Adorei Mari!
    Cheia de histórias emocionantes, ficou lindo o post!
    Assim são os avós, sempre com um carinho escondido nas mangas! rsrsrs

    p.s: Me fez lembrar da minha linda vó, a única que conheci, que faleceu quando eu estava grávida de 7 meses do Iury... Foi muito difícil, sinto muita falta dela e queria muito que ela tivesse conhecido o Iury.

    Enfim, a vida é isso mesmo né!

    Um beijão em vocês!
    até mais!

    ResponderExcluir
  5. Que Lindo!!
    Mas vó/vô são todos iguais, né? Minha vó dizia que a função de vó e vô é fazer com os netos tudo aquilo (de exagerado) que não faziam com os filhos... Eu amava isso...

    E Ruan sabe muuuito bem o quanto isso é verdade...
    criado pelos avós, ele aproveita!!
    As vezes eu e meu irmão (o pai dele) ficamos pasmos com algumas coisas que pai e mãe permitem... só sendo avós mesmo! rsrsrs

    Beijos!
    E parabéns pela família linda!

    ResponderExcluir
  6. oi querida nossa amei o teu post, parabens pelas tuas avós e pelas avós do Miguel, assim são nossos pais né, a minha mãe é igual ao seu pai hehehe, nossa só eu sei as chinelas, os tapas e outras coisitas amais que levei por teimar, hoje não podemos nem encostar no Caio hehehe....
    amei as fotos, o Miguel ta cada vez mais fofo e lindo, parabens, beijocas!!!!

    ResponderExcluir
  7. Disse tudo Marília, a função deles é "estragar" e "mimar" e a nossa é vigiar e as vzs fingir que não estamos vendo. Meu nunca me bateu, mas minha mãe... ontem Enzo de pirraça "me deu um tapa" no rosto (to até agora aqui penando se ele já sabe o que faz) e eu na mesma hora disse não e dei uma palmada (vou levar unfollow?). Minha mãe veio cheia de blá blá blá, que não se pode dar palmada... Oi? Enfim... coisa de vó!
    Bjks

    ResponderExcluir
  8. AMEI esse post!!! Tudo de mais lindo.. E vó é vó, ne?!

    Achei a primeira foto fantastica!! Todo sentimento do mundo mostrado ali... Amei!!

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  9. Olá ;D
    Várias vezes tentei criar o Blog pra Laurinha (minha afilhada) mais sempre desistia por não conseguir mexer nele direito! Só que dessa vez ; decidi voltar e pra FICAR

    O seu cantinho está MUITO lindo *---*

    Já viramos suas seguidoras ;D

    Beijos ; beijos
    Esperamos sua visitinha

    Mih e Laurinha

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails